Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Reserve seu hotel online

 

 

  • Total de visitas: 1654627
  • Unique Visitors: 226592
  • Registered Users: 3497
  • Last Registered User: cynthiapickrell8323
  • Published Nodes: 117
  • Your IP: 54.198.119.26
  • Since: 02/27/2014 - 13:02

SERGIPE: 195 anos de sua Emancipação Política. Terra do meu coração.

O nascer do sol nas praias da capital sergipana
Os arcos da Orla de Atalaia

 

Olá viajantes...hoje meu Estado comemora 195 de Emancipação Política (antes, pertencia a nossa vizinha Bahia) e temos muito a comemorar. Mesmo os sergipanos (dentre os quais me incluo) conhecem pouco nossa terra, por isso não poderia deixar passar esta data especial para destacar alguns locais que valem a pena ser desbravados.

Vamos começar pela capital, ARACAJU, como já falei diversas vezes aqui no blog, com todos seus encantos. 
Hospedar-se na Orla de Atalaia já inicia um super programa, pois a estrutura de bares, restaurantes e locais de diversão estão concentradas ali, inclusive com uma filial do Projeto Tamar. Siga em direção à Passarela do Caranguejo e prove a melhor iguaria do nosso pequeno Estado.

Curta as praias mais distantes, da Rodovia Jose Sarney e não perca o pôr do sol da Orla homônima. Aliás, não canso de repetir que o passeio por esse local, para mim, é o mais bonito da cidade, curtindo a Crôa do Goré ou Viral. Ainda tem o Museu da Gente Sergipana (iterativo) e toda história do centro da cidade, que já falamos por aqui.

O segundo local mais visitado do Estado é XINGÓ, no sertão (na cidade CANINDÉ DE SÃO FRANCISCO) com o deslumbrante Cânion de São Francisco. Se seu tempo é curto, vale a pena encarar a cansativa viagem de bate e volta (2 horas para chegar lá) e curtir aquele lugar incrível. Os "pacotes" já incluem o passeio de catamarã (barco), com direito a uma paradinha para um banho nas límpidas águas naquela imensidão de paredões e almoço no Bar flutuante (comida a quilo, não muito saborosa). Mas se você puder separar dois dias, siga até lá, curta as belas paisagens com calma, visitando o museu do cangaço, a hidrelétrica e inclusive a vizinha Piranhas/AL (conto para vocês isso depois em outro post).

Na linda Serra de Itabaiana, na cidade que lhe deu o nome, é possível curtir o turismo ecológico, com trilhas e praticar rapel. Várias cachoeiras e o tão conhecido Poço das Moças, sendo imperdível a visita ao Parque dos Falcões, aos pés da Serra, principalmente com crianças. Além de uma aula sobre as aves de rapina (o idealizador Percílio demonstra o amor pelo que faz), a estrutura do local de recuperação desses animais, reconhecida nacionalmente, encanta qualquer visitante. E ainda nos dá o “direito” a curtir o pouso de um falcão super treinado no braço de quem se encorajar, tudo com a maior segurança (www.parquedosfalcoes.com.br).

Ainda temos as praias do Norte, com destaque para PIRAMBU, que hospeda outro Projeto Tamar, de menor estrutura. No caminho a este Município, uma passadinha no Poço Azul é sugerida, desde que não seja nos finais de semana (muvucado). A cor da água faz jus ao seu nome.

Como não visitar as praias do litoral sul do Estado, começando por CAUEIRA, ABAÍS, SACO. Praias limpas, de águas mornas e areias planas de vasta extensão. A estrutura é simples, o que dá um charme ainda maior. Na entrada do Abaís, parada obrigatória (mais uma vez para as crianças), na Lagoa dos Tambaquis. Águas claras permitem que os visitantes alimentem os peixes que os cercam e impressionam. Dá para curtir o dia no local, no gostosinho restaurante Lagoa Azul (simples, boa comida e preço justo).

Mais uma vez, recomendo curtir o sol se pôr nas dunas do Saco, onde são alugados quadricíclos para facilitar nossa vida.

Ai Sergipe...menor Estado da Federação com tanta coisa para falar que me perco nas palavras.

A Cachoeira de MACAMBIRA, a ILHA DO OURO, a FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO, a histórica LARANJEIRAS, as tradicionais Festas Juninas, desde a capital até os barcos de fogo de ESTÂNCIA (e suas "guerras" de buscapés), assim como CAPELA, com sua famosa festa do Mastro e cavalgada acompanhada de tiros de bacamartes, sem esquecer a 4ª. Cidade mais antiga do Brasil, SÃO CRISTÓVÃO, a primeira capital do Estado, com suas obras arquitetônicas que viraram patrimônio histórico da humanidade. Depois de visitar suas igrejas, conventos e museus, parada obrigatória para se deliciar nos biscoitos das freiras (leves, com um certo sabor de limão), cujo aroma fica nos nossos sonhos.

Sei que ainda tenho muita coisa para falar, mais ainda para conhecer, mas não posso deixar de declarar o meu amor a minha terra para que todas as pessoas loucas por viagem compartilhem desse mesmo prazer. Não deixem de conhecer...quem sabe a gente não se encontra por aqui?

“Há 195 anos Sergipe foi emancipada, desvencilhando-se da Bahia. Pelos baianos, é sempre chamado de quintal daquela terra, mas consideramos isso um elogio já que é no quintal que todos gostariam de estar na maior parte do tempo, local onde são feitas as confraternizações e onde guardamos os momentos felizes.

Nosso quintal, que para mim é um jardim, tem problemas, principalmente nos dias atuais. Mas seu povo cortês, seus belos e guardados tesouros já conhecidos por alguns turistas torna esse pequeno Estado maior que nossos corações. 
Parabéns Sergipe!! Minha terra de corpo, alma e coração.

 

Espero que você cresça mantendo esse ar interiorano, servindo-nos das mais belas paisagens, sem que destruam todo seu "gramado" para tentar transformar em edificação. Continue sendo quintal, com seu ar fresco e águas platinadas porque aqui é local de gente feliz!”

(Homenagem a meu tio Cleomar Brandi, o baiano que mais amava essa terra e que certamente teria feito uma crônica no dia de hoje).

 

  

HOLANDA: a linda e bucólica cidade Zaanse Schans.

Olá viajantes...no nosso terceiro dia na Holanda, seguimos para uma cidadezinha encantadora ZAANSE SCHANS.

Acordamos cedo certos que iríamos pegar o passeio com guia para algumas cidades do campo (junto a lojas de turismo que ficam espalhadas pela cidade), mas como ele saía às 9h, chegamos atrasados. Para não ficar na vontade, fomos até a estação central e compramos um ticket de trem para Zaandijk (ida e volta por 7,20 euros). Que sorte termos perdido a hora (rsrs) já que o passeio pela agência nos custaria de 45 a 55 euros por pessoa.

Conhecemos uns brasileiros por lá (para variar) e eles nos relataram que a cidade está a apenas 17Km de Amsterdã e tem ótima ciclovia. Ou seja, uma delícia seguir pedalando até la e se na volta der uma canseira, basta comprar o bilhete de trem e voltar relaxando já que eles admitem bicicletas no vagão.

Descemos, por engano, poucos minutos depois no nosso embarque, na estação Zaandam e conhecemos o centrinho dessa cidade agradável. Logo na entrada tem o Inntel hotel, com sua linda arquitetura (parecem casinhas holandesas umas em cima das outras) e logo em seguida, um ótimo calçadão repleto de lojas, começando pela barateira Primark. Resistimos às compras e voltamos para a estação para pegar o trem para Koog-Zaandijk – mas na volta paramos por aqui para um pit stop para compras.

Na estação Koog-Zandijk, descemos e caminhamos poucos minutos até chegar à linda Zaanse Schans.

Logo da ponte dá para ver os diversos moinhos verdes, as casinhas preservadas... Parece que o tempo parou. Aqui você não vai precisar de mapa, apenas siga o fluxo de turistas (que não são poucos) e vá curtir o local.

Alugamos uma bike por 5 euros a hora e pedalamos em torno do canal chegando a parte central da cidade.

Adoramos ver as casinhas todas decoradas, o movimento dessa cidade rural, uma delícia.  Fiquei encantada com as janelas das casas pois os moradores colocam muitos enfeites nelas tipo jarros, flores, penduram coisas (até parece minha área de serviço que imagino ser um jardim e coloco várias coisas kkk). Cada janelinha mais linda que a outra, parece até que todo mundo aqui é feliz e gosta de mostrar isso!!

 

O sol ajudou muito para deixar nosso dia ainda mais perfeito, apesar de estar muito frio ainda. Depois de contornar o lago, passando pelos campos vendo vacas holandesas e ovelhas, voltamos para o centrinho histórico e nos deliciamos com os Stroopwafel (biscoitos com aroma de canela recheados de caramelo, bem crocante) feitos na hora! Pode provar qualquer um deles, baste sentir o suave cheiro de canela, comprar um café e saborear essa delícia. Comemos quentinho, saindo do forno, mas por aqui eles colocam em cima do café para o caramelo que há dentro derreta... Sentiu o drama? Custam em torno de 1 a 2 euros, e dá para comprar vários pacotes.

Este trajeto fizemos em 1 hora de pedalada e voltamos para o centrinho histórico onde alugamos a bike.Depois de conhecer uma fábrica de queijos no local e provas várias vezes todos eles (rsrsrs), seguimos para o museu dos tamancos holandeses (não entramos) e visitamos mais lojinhas com todas aquelas coisas lindas típicas da região, as louças com desenhos azuis e tamancos imensos que dariam ótimas floreiras... embarcamos no trem de volta à Amsterdã, mas com direito a uma nova paradinha em Zaadam, agora para curtir as compras.

 

Almoçamos por lá, apreciamos a orquestra da cidade tocando no coreto e devoramos as lojas (kkkk). Tem ótimas relojoarias, lojas de roupas e etc. A Primark é ótima e não tem a muvuca dos grandes centros. Já passava das 15h quando voltamos à Amsterdã e como era praticamente nosso último dia por aqui (infelizmente), partimos para conhecer o lado dos museus da cidade. Utilizando o ticket diário do tram (bondinhos) que vale 24h, seguimos até a parada Museumplein. Descemos para tirar a foto básica nas famosas letras gigantes “I AMSTERDA”. Num sábado de sol, claro que foi impossível querer o nome só para mim! Kkk

 

Tem um lindo lago em frente com várias tulipas e rende ótimas fotos. O parque é pequeno mas muito agradável. Por ali, o Museu de Van Goch,, dentre outros...escolha e aprecie suas belezas (melhor comprar os tickets antes). E depois se tiver fôlego, termine o dia no Voldelpark, bem perto dali.  Curtir as pessoas "tomando sol" de casaco, fazendo churrasco, brincadeiras típicas de praia é bem interessante.

Hora de jantar no meio do caminho - que para nós foi numa casa Argentina para matar a saudade de carne, e depois cama.

Ser turista exige um certo preparo...ainda mais para mim que quero conhecer e curtir tudo!!!

Amando a Holanda...valeu a pena esperar para conhecer esse espetáculo de País.

 

HOLANDA: uma visita ao parque de flores Keukenhof (Lisse).

Olá viajantes...tenho inúmeras novidades para vocês depois de uma super viagem pela Europa. E dessa vez, escrevi meus posts como diários, no momento em que estava curtindo cada lugarzinho que vou guardar para sempre na memória.

 Por isso, vou começar por minha razão dessa trip: o famoso parque das flores da Holanda: KEUKENHOF.

Que lugar incrível, com todas aquelas cores e tipos de flores que jamais sonharia em conhecer. Espero que vocês sintam minha alegria e emoção desse dia...

 Comecei seguindo as dicas para chegar até ele, da forma mais fácil e barata para mim. Adorei o blog do brasileiro ducsmsterdam.net que me ajudou muito a montar meu roteiro e sonhar com esse dia.

Previamente, comprei nossos ingressos através desse blog (16 euros ou 50 euros com o transfer saindo da Central Station de Amsterda-não vale a pena), imprimi os tickets em casa (não precisa marcar o dia pois é válido dentro daquela temporada, de das 8 às 19:30h) e segui para o aeroporto de Amsterdã até o setor que ônibus gratuitos saem em direção ao Parque Keukenhof.

- Como chegar no parque: siga até o aeroporto (Schiphol) de trem. Não se preocupe com horário, pois tem vários ao longo do dia mas se programe para ir cedo. Vá até o terminal 4 (Arrivals 4) no sentido do aeroporto (porque lá também é estação de trem) em busca do ônibus 858. Procure uma saída ao lado de um Starbucks que é muito fácil de achar. Todos no aeroporto saberão indicar esta saída para o parque.

Mas atenção: você somente poderá utilizar este transporte gratuito se já estiver com o ticket do parque em mãos pois eles cobram na entrada. Se ainda não o possui, siga até o tourist office do Schiphol e compre lá. Mas achei ótimo comprar pelo blog e não enfrentar filas.

 Depois de quase 1 hora (havia reforma na pista), chegamos em Lisse (isso mesmo, a maior atração da primavera da Holanda não fica em Amsterdã), e já pude ver alguns campos de flores bem de longe. Emocão... nem acreditava que depois de três anos sonhando com esse lugar estava exatamente aqui.

 Essa cidade fica na região conhecida como Bollenstreenk (rota das flores) e há vários passeios de bicicleta que incluem visita ao parque, como o feito entre Haarlem e Leiden (passando por campos de flores e cidadezinhas pitorescas). Uma próxima vez, certamente farei isso.  O bus para em frente ao pórtico do parque e já apreciando os inúmeros canteiros de tulipas, fui conhecer o local. Deslumbrante!!!

 Incrível saber que esse lindo parque é preparado para os amantes das flores. São plantados milhares de bulbos por ano exclusivamente para que a primavera seja incrível por aqui. Um espaço enorme, com canteiros coloridos, jardins desenhados por profissionais especializados e gente, muita gente apreciando tudo isso.

 Queria tirar fotos com todas as flores...não conseguia fechar a boca por um segundo. Um sonhooooooooooo. Meu sonhooooo.

Apesar de ter criado uma imagem na minha cabeça de que as tulipas seriam tão altas como o girassóis (doidice mesmo minha), não tem como não se deslumbrar com aquele colorido.  As tulipas com duas cores foram as minhas favoritas, mas as vermelhas, rosas, laranjas e tantas outras tonalidades me deixaram embasbacadas. E havia muitas mudas, o que garante a prorrogação dessa visitação com belos cenários. Siga o mapinha do parque ou não conseguirá ver tudo. Não achei muita graça nos pavilhões cobertos, a não ser para tirar as selfies nos locais programados para isso.

Almoçamos por ali (num restaurante de comida a quilo bem mais ou menos e caro), e depois subimos o moinho, para apreciar os campos de longe.

Mas eu queria mais!!! Meu sonho estava todo guardado na minha memória e queria por inteiro.

Depois de comprar souvenirs do parque (só vende por aqui mesmo viu?), e termos passado umas 4 horas no parque, depois de milhares de fotos de todos os ângulos, saímos do local em direção ao estacionamento para alugar bicicleta e curtir ainda mais.Fácil de localizar um stand próprio para isso, preenchemos uma rápida ficha e por 10 euros, com o mapa em mãos, seguimos para descobrir a cidade das tulipas. Tem percursos de 5, 10 e 25KM que você não precisa escolher já que todos tem a mesma direção, traçados no mapa. Com uma breve explicação fomos pedalando para o lado direito da pista. Não precisa de guias, é fácil e há várias pessoas fazendo os trajetos.

O local tem uma ótima ciclovia e seguindo pelo lado direito, em poucos minutos vimos uma bifurcação e entramos numa “cancela” no lado esquerdo e vimos o primeiro campo de flores. Isso era o que eu queria ver!!! Mais que o parque das flores, achei o lugar incrível com seus “tapetes” coloridos de flores. E não é tão difícil de achar não, basta ficar atento. Você tem que sair da ciclovia e pagar um curto espaço de estrada de chão, bem calma e cuidada.

Ficamos ali parados... vendo uma imagem que parecia tão distante...impressionante, incrível, emocionante...sem palavras para descrever minha alegria!!!

Depois voltamos par a ciclovia, atravessamos a rua e numa outra propriedade, vimos os campos de tulipas vermelhas. O trator cortando as flores dava um aperto no coração, já que eles só se interessam pelos bulbos para exportação. No caminho, os produtores vendem tulipas a um euro (pena que não da para levar na mala).

A cidade é bem rural, e não vimos lojinhas, apenas dois cafés pelo caminho. Na volta, percebemos vários trailers parados numa grande estrada de chão, ao lado de outros lindos campos de flores e não pensamos duas vezes para descobrirmos o caminho até lá. Super estrutura para quem gostar desse estilo de viagem, com banheiros, mesas e energia disponibilizada para esse veículos e uma vista deslumbrante e inesquecível.

 Voltamos para o estacionamento, devolvemos as bikes, esperamos o ônibus no ponto que chegamos (o último sai as 18h) e voltamos para Amsterdã com um sorriso bobo no rosto.

Tão bom poder realizar sonhos...neste dia fui dormir ainda mais grata à Deus pelas oportunidades que me concebe.

 

Espero que vocês gostem tanto quanto eu... voltaria toda primavera!

Mas se vocês ainda quiserem aproveitar essa maravilha esse ano, corram porque o parque só fica aberto até o próximo dia 20/05/2015.

 

Amei....

 

Páginas

Subscribe to Loucas por Viagem RSS