Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Reserve seu hotel online

 

 

  • Total de visitas: 1438719
  • Unique Visitors: 210669
  • Registered Users: 3418
  • Last Registered User: leonorafalbo86805992
  • Published Nodes: 115
  • Your IP: 54.162.164.86
  • Since: 02/27/2014 - 13:02

Chile/Santiago: Hotel/Cassino Del Valle, Enjoy Santiago

Enjoy Santiago Hotel/cassino
Cassino animado e sem odor de cigarro

Olá viajantes...meu roteiro de viagem dessa vez foi totalmente alterado de última hora porque em Nevados de Chillan não havia um floquinho de neve, mas no final, resultou em ótimas surpresas.

Uma delas foi o Hotel/Cassino Del Valle Enjoy, no caminho de volta de Portillo para Santiago (Autopista Los Libertadores Km 53, Rinconada, Los Andes). A uns 60Km da capital chilena, este hotel é um verdadeiro oásis no meio da estrada. Sério mesmo, no meio do nada e no alto, com uma vista incrível para a Cordilheira dos Andes, esse prédio que fica todo iluminado durante a noite deve ser incluído no seu roteiro,  principalmente se você é uma pessoa que gosta de conforto e de jogos de azar.

Confesso que nunca tinha ouvido falar desse hotel por aqui, mas adorei. O booking me indicou essa hospedagem como sendo no caminho e valeu demais.

Fizemos a reserva por este site, por incríveis U$62 o casal, com direito a café da manhã, uso do SPA e entrada livre para o cassino.

 Já no hall, o conjunto de lustres de cristal nos recepciona com muita pompa, que contrasta com a falta de cordialidade dos recepcionistas, talvez por estarmos de passagem, ou simplesmente por falta de preparo. Mas essa é minha única queixa do hotel.

O quarto é muito agradável, espaçoso, moderno e bem decorado. As águas e chocolate são cortesias, assim como os chinelinhos de banho. A banheira exposta que integra o quarto te convida para começar uma noite deliciosa, com gostosos e felpudos roupões ao seu dispor. A internet também é ótima e gratuita em todo hotel.

 

Segui para o restaurante La Barquera (a la carte), tem outro com serviço de Buffet a preço fixo pertinho do cassino, e desfrutei de uma entrada de chupas de centollha, bacalhau e mariscos. O ambiente é o mesmo do café da manhã, que por sinal também é muito bom, e gentilmente bem servido pelos funcionários.

 

 

A entrada do cassino é aberta ao público, mediante o pagamento, mas nós, hospedes, apresentamos os tickets e seguimos rumo a diversão. Diferente dos cassinos americanos, a entrada é permitida a partir dos 18 anos de idade, o que agradou meus filhos. Adorei ser proibido fumar dentro do local, outra grande vantagem dos outros que conheci (acordava nos de Vegas com aquele cheiro de fumaça impregnado).

 

 O cassino não é muito grande, mas me pareceu bem animado. Música ao vivo animava os jogares, assim como dois bailarinos que se esforçavam na sua perfomance. De repente, música brasileira, funk... (kkkkk). Nós somos populares por aqui, e muito bem-vindos.

 

Para quem não gosta deste tipo de lazer, o bar no centro do cassino é bem legal. Curtir a movimentação das pessoas é uma agradável diversão. Como não jogo, gastei alguns pesinhos brincando nas máquinas de figurinhas de criança que tentam encaixar os desenhos e, claro, perdi (rsrsrs).

 

Cansados da viagem, de um dia de muito esqui, não curtimos como deveríamos, mas deu para perceber que é um lugar que vale a visita. Ah!!! O SPA funciona até meia-noite , com sua piscina aquecida e tigelas de hidromassagem de águas "calientes", além da academia.

As massagens disponíveis tem um custo a parte, de vários tipos e para todos os gostos.

 

Bom saber que depois de uma noite deliciosa, o café da manhã do hotel é servido até o meio-dia, coincidindo com a hora do check out.

 

Esse Hotel/cassino Enjoy é da mesma rede do famoso em Punta del leste, mas parece que a fama ainda não chegou por aqui, a julgar pela pouca quantidade de hóspedes, apesar de ser uma quinta-feira, ou ainda pelos preços, baixos pelo que oferecem.  

Vem a Santiago? Combine o transfer com o hotel e tenha uma noite diferente.  Super recomendo...

Chile/Santiago: sempre uma agradável surpresa.

Sky Costanera: uma linda vista da capital chilena

Olá viajantes...acabei de chegar do Chile e vou passar minhas dicas para vocês. Sempre me perguntam o que fazer, quantos dias ficar por lá, onde comer, o tipo de transporte... e a minha resposta sempre é a mesma: DEPENDE!!! Tem que ver o perfil de cada viajante para definir o roteiro desse lugar maravilhoso. Nessa minha quarta visita a este País, posso dizer que sempre tem novidades e locais deliciosos para conhecer.

Já escrevi muitas coisas sobre a capital chilena, sobre Valle Nevado e vizinhança, por isso vou contar só minhas novidades tá? O basicão vocês olham nos posts de 2014.

 - Costañera Center Mall: já conhecia e adorava este shopping, localizado no bairro mais queridinho e turístico de Santiago, Providência. A novidade está no prédio mais alto da América Latina cujo acesso se dá por dentro do mall e, no topo, o Sky Costanera com visão panorâmica e em 360graus da cidade e cordilheira. Escolhi um dia bonito, para ter uma visão melhor e fui curtir a vista.

 O valor dos tickets varia com a idade e dias (varia de $3.0000- crianças durante a semana, até $ 8.000, adultos em finais de semana e feriados). Os estudantes com carteirinha tem descontos sempre no Chile, nas estações de esqui e aqui também ($4.000 na semana, e $5.500 nos finais de semana e feriados). Legal procurar os pontos conhecidos da cidade. Colocar moedinhas e enxergar aquelas montanhas branquinhas com detalhes...Não há local aberto, mas o vidro é anti reflexo e dá para tirar fotos lindas. Na descida, uma passadinha na loja de souvenir e no Hard Rock Café Santiago.

 Vai fazer compras? Não se esqueça de passar no segundo andar e pegar tickets de descontos para várias lojas no atendimento ao cliente.Recomendo aproveitar as lojas âncoras Falabella, Paris, Replay, Zara e tantas outras distribuídas em andares específicos, o que facilita as compras. Andar só para o público feminino, só masculino, crianças, etc. Bom demais. O supermercado Jumbo está aqui e é ótimo para comprar chocolates, azeites e vinhos (beeeeem mais baratos).

 Se for almoçar por aqui, não pense duas vezes e siga para o Rosso Italiano, no último piso.Lugar bem bonitinho e comida que nem parece de shopping. Comi o nhoque com molho quatro queijos e bife de chorizo que estava saborosíssimo.

 Mas se preferir conhecer os sabores chilenos, e desfrutar dos deliciosos mariscos, há várias opções como os já recomendados por mim, a exemplo do restaurante aqui esta coco. Ambiente formal, local bonito e elegante. Preço salgado, mas vale cada peso.

- Bairro Lastarria: bem pertinho do Cerro Santa Lucia, este local está super concorrido. Muitos restaurantes e algumas lojinhas. Tive um pouco de dificuldade em achar “o lugar”, já cheguei quase 15h e vários restaurantes estavam fechados...uma pena. Não vi as ruas animadas e os bares descolados, mas mesmo assim, fui à Rua José Victorino Lastarria e descobrimos um cantinho com bares e restaurantes. Escolhi a Casa Lastarria e aprovei. O risoto de camaronês ($8.500) me lembrou Capri, aquele gostinho de limão siciliano...Prove o chupe de mariscos também ($ 11.500). Pratos individuais.

 Um problema chegar de carro por aqui. Melhor seguir de táxi ou de metrô. Aliás, o trânsito de Santiago está uma l-o-u-c-u-r-a!! Pessoas estressadas e engarrafamentos constantes. Recomendaram seguir até a altura da Plaza Mulato, onde a rua vira um calçadão com direito até a uma feira de antiguidades, mas acho que cheguei atrasada. Passei pelos museus de Artes Visuais (Mavi) e Arqueológico, mas não me encantei.

 Almocei no Lasterria, comi bem e não sobrou espaço para provar o sorvete com casquinha da Empório La Rosa, logo em frente, porque pedi a famosinha sobremesa - Torta Tres Leches (feita de leite, doce de leite e leite condensado, com cobertura de merengue) e não me arrependi. Não deixe de provar em qualquer lugar. Cremosa, leve e deliciosa (babando).

 Tem uma feirinha de artesanato do outro lado do Cerro Santa Lucia, um lugar bem apertadinho e um pouco bagunçado. Mas se gosta deste estilo de passeio, siga sem pensar para o Los Dominicos (ao lado da igreja Dominicana, A. Apoquino, 9085). Delícia de lugar, com muita coisa bonita e preços mais justos. Já falei dele por aqui: http://www.loucasporviagem.com.br/posts/chile-um-roteiro-de-11-dias-pelas-estacoes-de-esqui

Este está mais próximo do bairro Las Condes, ou seja, do outro lado da Providência. Use o metrô para chegar neste bairro, e depois escolha o táxi.

- Na volta, aprecie o bonito Parque shopping Arauco. O mais bonito da cidade, com lojas expostas em ambientes abertos e fechados, lindas vitrines e de alto nível.

 Ah! Passei de novo no Outlet Premium Arauco porque precisava comprar calças para esqui. Mais uma vez constatei que os preços não são como os americanos, infelizmente, mas que estiver buscando roupas de frio por aqui, é o melhor lugar. Comprei “pantalonas” para neve por pouco menos de R$ 200,00 da Columbia. Fica distante do centro, no caminho para o aeroporto. Veja meu roteiro de compras anterior: http://www.loucasporviagem.com.br/posts/chile-santiago-centros-de-compras-shoppings

O bairro Italian ficou para uma próxima visita. Assim como o Parque Bicentenário que queria conhecer pedalando e curtir o pôr do sol por lá. Para quem for, procure os flamingos e desfrute do gostosíssimo (e caro) restaurante Mestizo. Depois me contem!

Aliás, comer é um super programa em Santiago. Alguns acham a comida sem gosto, mas eu rejeito este comentário. Passo sempre muito bem por aqui, apesar de tudo estar muitooooooo caro. Vamos lá:

- Restaurante temático Ocean Pacific’s (Av. Ricargo Cumming,221 Centro): bem pertinho do Palácio de La Moneda. Na mesma rua tem um bar/restrô e outro restaurante maior (escolha este). Ambientes muito legais que vão deixar as crianças enlouquecidas. Dentro do local, de um lado você fica num “submarino”e no outro, “num barco”. Uma riqueza de detalhes, tudo com muita informação para ocupar os olhos durante a refeição. Ficamos na cabine de comando do submarino, fomos super bem atendidos e adoramos a comida.

 O cardápio traz fotos ilustrativas dos pratos, o que facilita a escolha diante dos mais variados nomes dos mariscos: locos, machas, centollas, congrios...hummmmm. Se tiver problemas com lugares mais apertados, escolha o salão maior onde tem uma réplica do esqueleto de uma baleia no teto.

 Não deixem de provar todos os “chupes” que puder. São catados de centolla (um caranguejo típico chileno, que parece pitu, com gosto mais leve), peixes, e outros gratinados e deliciosos. O de centolla é de lamber os dedos...Almocei o congrio Mai Mai (grelhado ao molho branco com mariscos) e aprovei. Atenção: no groupon tem promoção de $26.990 um almoço com diversas iguarias.

 Quer mais dicas de locais para comer?

- Uncle Fletch: sanduiches deliciosos e descolados

- Restaurante Galindo Bellavista,na Providência. Para comer pratos locais sem frescuras - pastel de choclo, empanadas, reentea, cazuela e lomo a ló pobre (nada mais que carne com ovo estrelado em cima). Pratos para dividir.

- Eladio Providencia: bom para comer carne, localizado no 5º. Andar do prédio giratório (Nueva providencia 2250)

- Bistro Km0- Las Condes (Isidora Goyenechea, 3000, 1º. Andar, no hotel W)-bons frutos do mar, apesar de ser um pouco caro.

- Pizzaria Tiramisu: badaladinha (Isidora Goyenechea, 3141)

-La Casa Vieja (comida chilena): pratos grandes, delicioso (Av. Manuel Montt, 1631)

- De la Ostia (tapas): recomenda-se croquete de jamon, tortillas (tem menu do dia de $5.400 a $ 6.800)- Orrego Luco, 065, Providência

- restaurantes do Hotel W.,na avenida Isidora Goynechea - um final de tarde no terraço da piscina é fantástico e aberto a qualquer pessoa. Dizem que é lindo ver o por do sol de lá e que o ambiente é massa, mas não pude desfrutar dessa lindeza.

Fique ligado que nesta rua, Isidora Goynechea, aos domingos tem  Feira de antiguidades e encontro de automóveis antigos.

- Borde Rio – um delicioso complexo gastronômico, com 11 restaurantes, na beira do rio Mapuche, com comidas do mundo todo e bem agitado à noite (comida italiana, peruana, japonesa, chilena, islandesa, asiática, espanhola). O Lamu Lounge de decoração africana e comida gostosa está por aqui.(Av. Monsenor Escrivã de Baloguer, 6400, região metropolitana), assim como o El Apero, que apresenta danças típicas da Ilha de Páscoa (semelhante ao restrô Bali Hali, em menor proporção)- www.borderio.cl

Tem mais restaurantes legais no meu post: http://www.loucasporviage.com.br/posts/santiagochile-restaurantes-imperdiveis

Prove as empanadas (pastel assado com carne um pouco picante, cebola, azeitona preta e ovo), o pastel de choclo (base de milho, recheado com carne picada, frango, ovos cozidos, azeitona e passas, assado e gratinado com açúcar), o suco de cirimoya (mais leve que graviola), os azeites com baixa acidez e todas as delícias chilenas.

 Ahhhhhhhh...Uma super dica para hospedagem: pague os hotéis com dólar (em espécie) ou cartão internacional para fugir do IVA (19%)-imposto sobre o valor agregado. Mas avise no check in para não ter problemas.

E lembre-se: se vai curtir a cidade, fique no bairro Providencia. Caso queria subir a montanha para aproveitar os esportes de neve em Valle Nevado e vizinhança, Las Condes é a melhor opção. Esse bairro é top demais. Mas para andar de metrô é mais complicado...

 

Descubra as delícias da capital chilena, seus cantinhos, suas delícias e tenho certeza que vai querer bis. Eu já quero!

 

 

Chile ou Argentina para viajar nesse inverno?

Cordilheira dos Andes

Olá viajantes...as férias de inverno estão chegando e a vontade de viajar só aumenta. Mas em tempos de crise, com o dólar nas alturas, os destinos preferidos da América do Sul estão cada dia mais caros.

Estávamos com saudade da neve então, surgiu logo o primeiro questionamento: Chile ou Argentina? No nosso caso, além da neve, ainda teríamos que adaptar a um orçamento mais enxuto pois viajar com a família, composta de quatro adultos, não é nada barato.

Vou mostrar para vocês algumas pesquisas que andei fazendo para decidir meu destino, e espero que ajude na hora de montar um roteiro.

Pelo coração, o Chile já saia ganhando disparado, mas vamos contabilizar esse amor e ver se coincide com o bolso.

Quando ir?

Se não tiver problemas com data e valores, esperem a abertura oficial da temporada para programar sua viagem. A época mais indicada é entre 15 e 25 de julho (mas ninguém manda na natureza).

Mas se não for o caso, arrisque viajar na média estação, por razões óbvias. Como dependemos do clima para essa trip, optamos embarcar no final de junho (tem o risco de pouca neve, mas sempre demos sorte).

Pode acreditar, faz uma diferença enorme no bolso viajar para esses lugares até a primeira semana de julho. Os preços ficam, em média, 20% mais baratos, além de locais com menos filas e ainda com tudo funcionando. Veja se compensa arriscar (kkkk).

Veio uma lista “básica” de estações de esqui:

 

CHILE

     ARGENTINA

Valle Nevado

       - Bariloche (Cerro Catedral)

La Parva

       - Villa Angoustura (Cerro Bayo)

El Colorado

        - San Martin de Los Andes (Chapelco)

Farellones

        - Las Lenas

Nevados de Chillan

        - Ushuaia (Cerro Castor)

Pucon

 

Lagunillas

 

Chapa Verde

 

Portillo

 

Corralco

 

Osorno (Antillanca)

 

Trecho aéreo.

A primeira coisa que deve ser considerada é a passagem aérea, pois fará toda diferença. Nos orçamentos feitos nos sites das companhias aéreas, o Chile venceu absurdamente este quesito.

Passagem saindo daqui de Aracaju/SE, com destino a Santiago, tinha uma média de R$ 1.200,00, enquanto que para Bariloche, girava em torno de R$ 3.000,00 (porque só o trecho interno Buenos Aires para Bariloche custa, em média, R$1.000,00). Fora a taxa de embarque, pouco mais de R$ 100,00 de diferença. Ainda temos a felicidade de contar com as milhas aéreas para a capital chilena (as da TAM não servem no trecho interno BsAs e Bariloche, só até Buenos Aires).

Ah! Os voos charters que saem nesta época, geralmente são vendidos num pacote com os hotéis o que para mim, já ficam inviáveis.

Ponto para o Chile. Agora, resta escolher qual das estações visitar.

Estações de esqui chilenas.

O basicão do Chile é encarar as milhares de curvas e subir a montanha que fica próxima a capital chilena para curtir Farellones, La Parva, El Colorado ou Valle Nevado. Essas estações são próximas e há várias formas de curtir o dia por lá (www.loucasporviagem.com.br/posts-santiagochile-estacoes-de-esqui-como-chegar ).

Para quem quer ficar na montanha, os hotéis da famosinha Valle Nevado só aceitam um mínimo de noites num pacote que varia a cada temporada, mas geralmente, são 07 noites. Garanto: não é nada barato!!! E para nós, nada convidativo ficar “preso” num hotel, por mais luxuoso que seja, por tanto tempo.

Já alugamos um “apartamento” em Farellones e foi massa. (leia aqui www.loucasporviagem.com.br/post/chile-hostel-em-farelloneschile-por-marcio-brandi ). Mas queríamos algo novo (rsrsrs).

Portillo (Chile) e Las Lenas (Argentina) também são do mesmo jeito de Valle Nevado, só pacotes completos nos hotéis, sendo que Portillo (que fica há pouco mais de 1 hora de Santiago) aceita hospedagem de 3 ou 4 noites em determinados períodos no meio da semana (www.portillo.cl).

Para chegar em Las Lenas, há voos diários da LAN e Aerolineas Argentinas saindo de Santiago até Mendoza, e depois, mais 4:30h de transfer até a estação. Outra opção, saindo de Buenos Aires, que está a 1.200 Km de distância.

Pucon, que só tive o prazer de conhecer no verão (um delicioso passeio pelos Lagos Andinos), está a 780Km de Santiago, podendo chegar por via aérea até Temuco, (Lan Chile) e depois seguir mais 120Km por terra. Também aqui, só vi esquemas de resort, com pensão completa, com mínimo de 5 noites.

Voltamos a consultar Nevados de Chillán. Apesar de não ser nossa prioridade, porque fomos em 2014, a simpática Villa de Las Trancas, que fica a uns 10 minutos da estação Nevados de Chillan nos trouxe boas recordações. Daí lembrei de várias casinhas que passei (e anotei) àquela época e ficou difícil de resistir.

Nada de luxo, mas um chalé completo, com três quartos, num condomínio, com preço bom (U$ 170, em média, a diária do chalé), é quase irresistível (Cabanas y Lodge Los Hualles). Depois conto para vocês como foi…

Se escolher ficar por aqui, recomendo algumas das pousadas ou hostels em torno do Riding Hostel (na N-55) bem no centrinho, porque à noite não há muito movimento nesta vila, e por aqui, há alguns bares e restaurantes legais, embora a maioria seja bem simples. Adoramos.

Depois da hospedagem, outra coisa que consideramos para um bom planejamento de viagem são os tickets de esqui. Isso mesmo!!! Não que sejam decisivos, mas pesam no orçamento. Não posso falar em tipo de neve, estrutura das estações, qualidade de equipamentos e coisas do tipo, pois não sou, nem de longe, esquiadora profissional. Apenas brinco na neve.

Só para ter uma ideia, os tickets de 2015 custavam em torno de R$ 200,00 por pessoa (um pouco mais em Valle Nevado, bem menos nas estações pequeninas como Lagunillas e Chapa Verde), além de aluguel de roupas e equipamentos. Nada barato hein? Posso garantir que vale demais.

 

Conclusão: Chegar às estações com acesso pela capital chilena tem um custo mais benéfico que as da Argentina, mas os demais gastos terrestres desta compensam.Precisa ter em mente a finalidade da viagem: curtir os esportes de inverno ou passear, ficar em locais com muitas opções e muita estrutura ou coisa simples…

Digo e repito: Bariloche é o destino top of mind dos brasileiros. Se for ser seu primeiro contato com a neve, está indo com crianças ou não se enquadra no “modelo” de aventureiro, não troque Brasiloche por nada. A cidade tem uma ótima estrutura, com opções para todos os gostos ( mas nem para todos os bolsos), com passeios bem diversificados. Apesar de estar um pouco maltratada, continua beeeem charmosa.

Nós ficamos com Chillan e suas pistas entre bosques nativos, uma casinha perdida na neve, uma simpática vila e estrutura modesta, além de desvendar a desconhecida Chapa Verde, cuja hospedagem fica há pouco mais de 50Km de distância de uma cidadezinha chamada Rancágua. E depois uma passadinha em Valle Nevado (kkk), com paradas em Santiago (que adoramos). Daí uma das grandes vantagens do Chile: muitas opções com acesso fácil.

E, claro, vou contando tudo para vocês.

Páginas

Subscribe to Loucas por Viagem RSS