Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Reserve seu hotel online

 

 

Você está aqui

Janeiro 2014

  • Total de visitas: 1369400
  • Unique Visitors: 206781
  • Registered Users: 3378
  • Last Registered User: idaweinstein0989638
  • Published Nodes: 115
  • Your IP: 54.224.184.33
  • Since: 02/27/2014 - 13:02

San Diego, Califórnia/EUA (por Nathália Brandi/SE)

Olá viajantes...realizei o sonho de mandar minha filha fazer intercâmbio em San Diego, na Califórnia, e ela voltou cheia de histórias para contar dessa experiência incrível. E como filha de blogueira e louca por viagem, anotou algumas dicas imperdíveis. Quero muito voltar à Califórnia e conhecer esse lugar tão agradável.

San Diego me surpreendeu. Já era apaixonada pelos Estados Unidos, mas depois de conhecer essa cidade tranqüila, limpa e organizada me deu mais vontade de voltar. E aquela velha história do frio perfil dos americanos, não foi compatível com os moradores da cidade praiana que fazem de tudo para você se sentir em casa.

E se você me perguntar o que eu mais gostei de lá, responderei sem pensar que foi o pôr-do-sol. Não importa em que lugar você esteja, em qual praia ou o clima, ele sempre vai ser incrível: o sunset no mar faz toda a diferença formando cores fortes de vermelho no céu que chamam a atenção de todos os turistas e até mesmo dos moradores.

Mas como uma viagem não é feita só disso, separei alguns lugares imperdíveis. Não despreze San Diego no seu roteiro, pois ela merece um pouquinho mais de atenção na sua trip. Vamos começar pelas praias:

- Praia Del Norte: faz parte da famosa La Jolla Beach, mas é uma partezinha não muito conhecida e por isso freqüentada pelos nativos. Além da tranqüilidade, é perfeita para o surf, tem uma faixa de areia estreita e pedras grandes espalhadas que dão todo charme. Mas não fica tão perto da cidade, aliás, nenhuma das praias.

- La Jolla Cove: praia muito freqüentada e cara que atrai os surfistas e os interessados em ver de perto os leões e focas marinhas.

- Coronado: famosa pelo seu hotel de luxo, Hotel Del Coronado, cujo acesso é livre para visitantes, inclusive ao restaurante.

- Pacific Beach: com um píer de madeira em que várias casinhas são alugadas por temporada, essa praia é o lugar mais procurado devido aos seus restaurantes, bares, pubs e lojas de marca.  

        Dos outros pontos turísticos o que ganha destaque é o Balboa Park onde concentra os museus. Aliás, em determinados dias da semana, alguns deles são gratuitos (consultar). Não gostei do museu de Historia Natural, pois diferente do de Nova Iorque é muito pequeno, mas adorei o que retrata San Diego em miniatura. E nesse parque esta o famoso zoológico (o maior do mundo). Conheci por ser um ponto turístico, mas não curti. Achei as jaulas dos animais muito pequenas (fiquei horrorizada) e para conseguir vê-los é preciso dispor de um dia inteiro, pois alguns deles são noturnos. Só valeu pelo panda, que realmente parece de pelúcia. Não é um passeio barato!!!

        Programa bem americano e super interessante é assistir um jogo de futebol americano. Fui a um jogo do time local, Chargers, e pude presenciar o amor dos americanos pelo esporte e ver as famosas líderes de torcida animando a todos. Ah...não esqueça que não é permitida a entrada de bolsas ao local, a não ser as transparentes.

        Outro lugar legal é o Aircraft Carrier Museum, batizado de USS Midway. Além do porta-aviões e de retratar a história de guerra dentro do próprio navio, fica ao lado da gigantesca e conhecida estátua do beijo em comemoração ao final da segunda guerra (soldado e enfermeira).

        O Sea World, dentro do Mission Bay Park, é tão bom quanto o de Orlando, porém o show da Shamu é bem melhor e tem interação do instrutor dentro da água. Além dos animais aquáticos, tem também montanha russa (apenas a Manta).

        No Old Town, antiga San Diego, é uma comunidade com casas e lojas ao redor de uma praça, numa colonzação tipicamente espanhola. Achei um lugar meio chato.

        Como não tem como sair dos Estados Unidos sem passar em um outlet, peguei um troller (tipo metro por cima da pista) e fui em direção a Tijuana (México) a caminho do Outlet Saint Izidro. A parada fica numa estação antes da fronteira, bastando apenas pegar um ônibus que deixa na porta do Outlet. Vale muito a pena pela quantidade de lojas e preços. Ah... um detalhe importante: não se esqueça de levar o passaporte, pois caso se atrapalhe da parada do shopping, você estará em outro pais e para retornar aos EUA só mesmo com documento. Os nativos alertam muito para esse detalhe, evitando contratempos.

        E por fim, peguei um barco no Harbor Drive e dei uma última olhada nessa cidade linda por outro ângulo. Um passeio maravilhoso, imperdível e de baixo custo (U$25) com uma visão geral ao redor da cidade que, claro, terminou com um lindo pôr-do-sol.

        Ainda tem a Legoland (parque infantil), WaveHouse (simulador de ondas para surfar) e o Big Bear (estação de esqui) que terei que voltar para conhecer.

        E outra vantagem da cidade é estar a duas horas de Los Angeles, onde pude conhecer seus pontos turísticos, inclusive a Disneylândia (a primeira do mundo).               

        De uma maneira geral, o transporte publico é muito bom e pontual (ônibus e troller) com a facilidade de poder confiar no Google Mas, e taxi muito caro. Estranhei um pouco o fato das pessoas serem muito prestativas, então não se assuste se um estranho puxar conversa no ponto de ônibus, eles estão sempre querendo saber como está a sua estadia no país deles.

E não deixe de provar as comidas mexicanas, a forte influencia desse povo e evidente por todos os lados. Às terças-feiras alguns restaurantes mexicanos dão descontos devido ao “taco tuesday”.

Então é isso. Amei meu intercâmbio de 4 semanas e voltei apaixonada por San Diego e por seu povo. E ainda dei a sorte de pegar uma host family maravilhosa que me acolheu com muito carinho e me fez sentir em casa, além da minha “sister” russa e também intercambista, Anna, que quero levar para sempre. Já estou sonhando em voltar.”