Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Os preços mais baixos garantidos para o aluguer de automóveis em mais de 6.000 locais em todo o mundo

 

Reserve seu hotel online

 

 

Você está aqui

Junho 2013

  • Total de visitas: 1304776
  • Unique Visitors: 201025
  • Registered Users: 3266
  • Last Registered User: kerriewest51854230
  • Published Nodes: 115
  • Your IP: 54.158.198.141
  • Since: 02/27/2014 - 13:02

DINHEIRO X CARTÃO DE DÉBITO E CRÉDITO X VTM

 

Olá viajantes…nas viagens internacionais sempre fica a dúvida em relação ao dinheiro e pretendo ajudar esclarecendo alguns pontos:

Sou totalmente contra viajar com dinheiro em espécie suficiente para cobrir todos os gastos. Além do enorme risco de assalto, perda, etc., gera muito transtorno guardar, cuidar...

Além disso, tem que ficar ligado nas viagens para o exterior com o limite de dinheiro permitido por passageiro para o exterior: R$ 10.000,00 (dez mil reais). Isso mesmo!!! O site da Polícia Federal deixa bem claro esse limite e a desobediência pode configurar o crime de evasão de divisas, a não ser que você declare, claro!

No Brasil, não tenho dúvidas: o cartão de crédito é o the best!!! A não ser que sua viagem seja para um lugar beeeeeem simples, sem muita estrutura...o que te obriga a levar dinheiro mesmo.

Todas as vezes que viajo para o exterior sempre me vejo em torno desta dúvida: qual a melhor forma de levar o dinheiro. Antes do aumento do IOF – taxa cobrada para os cartões de crédito a cada compra no exterior, era bom demais! Passava o cartão de crédito em TUDO. Além de seguro, prático, ainda ganhava pontos para milhas (já pensando nas próximas viagens).

Para os países que adotam as moedas dólar, euro e libras, todas que possuem cartões VTM na própria moeda, para mim, é a melhor solução.

Isto porque você paga uma quantia para fazer o cartão nas casas de câmbio, mais ou menos R$ 5,00, depois pode recarregar o quanto quiser sem pagar nada por isso,. além da vantagem de poder depositar mais sempre que precisar.

Só fique atento! Caso a pessoa que fará a recarga não seja parente imediato (genitores, irmãos ou filhos) é preciso deixar preenchido um formulário autorizando-a a efetuar o depósito.

Sempre uso VTM e adoro, mas levo o equivalente a U$ 300,00 (trezentos dólares) em espécie para o uso em transporte (táxi, metrô, ônibus), lanches rápidos e outras emergências...porque não dá para ficar sem dinheiro.

 

Mas esta minha regra tem exceções, como tudo na vida. Nos locais em as moedas são diversas das já citadas – dólar, euro e libra, o uso do VTM resultará na cobrança de outra taxa no momento do uso do cartão. Assim, por exemplo, caso queira usar no Chile, como não tem VTM na moeda chilena (pesos chilenos), você credita em outra moeda – dólar, e lá faz a conversão pagando outro imposto. NÁO COMPENSA!!!! Volte a usar o cartão de crédito ou faça câmbio, trocando em moedas locais.

Mas tem uma maneira melhor nos países da América do Sul:

Para os que moram em cidades que as casas de câmbio não dispõem de MOEDA destas países (pesos chilenos, argentinos, etc) como a minha, sentimos muito insegurança em não ter a moeda local ao chegar ao local...e eu garanto que sempre quem tem dólar na mão não passa aperto em nenhum lugar do mundo!!!!

O problema é que ao comprar dólar você estará pagando uma taxa + IOF e ao fazer o câmbio no País latino, pagará nova taxa, ou seja, perderá dinheiro duplamente.

Nos países latinos, de uma forma geral, o real é bem aceito principalmente nas casas de câmbio, o que facilita e muito a trip.

Minha dica para os viajantes da América do Sul: a utilização da opção de débito para os cartões de banco que tenham a identificação plus ou cirus (ao fundo do cartão).

Também é possível sacar dinheiro direto nos cashes com estes cartões e isso tem um custo: em cada saque você paga $3.000 pesos, por cada transação, podendo sacar até $200.000 pesos por vez. E nesta opção, o câmbio final fica 1,00 para 223 pesos. Então se escolher esta opção, sempre saque o limite para compensar a taxa cobrada.

De forma aproximada, para saber o valor das coisas em real, basta tirar os dois zeros do valor em peso e multiplicar por dois. Claro que a conta não é exata... mas ajuda muito! Para saber em dólar, multiplique por quatro da mesma forma.No DutyFree no Brasil, claro que é melhor usar o velho e bom cartão de crédito. Além de não existir a cobrança de IOF (desde que a compra seja feita no Brasil), a conversão para a moeda local é imediata e ainda pode parcelar! Bom demais para quem viaja com dinheiro contado.

Espero que com essas dicas fique mais fácil e tranqüilo usar o dinheiro no exterior!

 

 

 

 

Chile: roteiro de 07 dias com neve

Olá viajantes…não é novidade nenhuma que eu amo esquiar. Então meu roteiro, claro, tem muitos dias voltados para isso, além de passeios e restaurantes fantásticos.

Quero deixar registrado também que sou apaixonada por Santiago, acho a cidade mais “européia” das Américas, com um povo educado e sempre muito gentil com os brasileiros, além da limpeza dos lugares, da segurança e organização. Tudo isso resultado do alto investimento em educação...compreensível, né?

Indico este roteiro para aqueles que estão indo pela primeira vez à capital chilena e que curtem os esportes de inverno.Divirtam-se!!!

 1º. Dia- Conhecendo Santiago.

Geralmente os vôos chegam em Santiago no final da manhã, então depois que “descarregar” as malas no hotel, esqueça a preguiça e façam um almoço rápido.

Depois, munidos de um mapa (sempre) siga até a estação de metrô mais próxima e vá até o Cerro San Cristóbal, subam pelo Funicular até a parada final (o zôo é um pouco bagunçado, mas tem muitos bichos). Lá em cima, além da vista linda da cidade, tem a imagem enorme da Virgem de Conceição (como nosso Cristo Redentor), um templo a céu aberto com lojinhas de souvenirs e lanchonete.

O ticket pode ser pago integralmente (cerro+zôo) ou para um lugar apenas.

Quando descerem, escolham o teleférico que dá uma visão geral do Cerro. Ao lado fica o Museu de Pablo Neruda, conhecida como “La Chascona”- quem gosta de poesia, vale a visita, e tem lembranças e livros - tour em inglês e espanhol em horários pré-definidos.

Numa rua em frente, onde tem várias lojas de souvenirs, tem o “restobar Locos por el deporte”, que é um barzinho bem animado para os apaixonados por “pelota” (bola)- legal para assistir jogos.

Para terminar o dia, sem pressa, siga até o restaurante Giratório, no bairro Providência e aguarde o pôr do sol por lá. Fomos uma sete da noite, ainda tava tudo claro e pudemos apreciar a cidade com sol e...de repente...as cores por trás das cordilheiras...e toda cidade iluminada. Isto compensa a falta de beleza do restrô, pelo menos para mim.

Andar pelas ruas desta capital é sempre muito tranqüilo...mas é bom não abusar!

2º. Dia-Estação de esqui-Farellones

Mesmo antes de conhecer a capital Chilena, recomendo subir a montanha rumo às estações de esqui.

Isto porque aqueles que não conhecem neve poderão saber se gostam ou não dos esportes de inverno e separar o restante dos dias de viagem. Como minha família adooooora esquiar (e meu marido curtir a neve com um bom vinho e tirando fotos nossas kkkk), separamos a maioria dos dias nas estações de esqui.

Para os iniciantes, comecem com Farellones, a estação “basiquinha”.

Aproveitem os tickets de acesso e aulas particulares mais em conta e se joguem no esqui ou snow. Também tem o tubbing, uma bóia grande que é empurrada na ladeira de neve, em pistas que lembram tobogã. Eu achei muito legal e crianças adoram.

À noite, restaurante Como Água para Chocolate.

3º. Dia -City Tour - no shopping Parque Arauco, a cada meia hora, sai ônibus Turistik (www.turistik.com.cl) que custa U$ 30 por pessoa e passa por 11 pontos turísticos pela cidade (ver mapa). Você pode escolher os locais das paradas e a cada meia hora outro ônibus passa e segue o roteiro, sem pagar mais nada.

Locais que valem a parada - Plaza das Armas, Catedral e Correio, Palácio de Governo - La Moneda (troca de guarda ás 10h em dias alternados), Cerro Santa Lucia (jardins, chafariz e em frente (atravessando a avenida) onde tem uma feirinha de artesanatos locais ótima e Mercado Municipal (o restaurante Donde Augusto é recomendado mas não quis ficar por lá diante da insistência dos garçons...aff).

Atenção: às vezes este city tour, através de vans, fica mais barato comprando nas agências aqui no Brasil -cotar preços.

À tarde, saída para conhecer a Vinícola Concha e Toro (alugar carro ou acertar com táxi ou agências locais é mais barato): é interessante, bonito e vale a pena, apesar de no inverno as parreiras estarem secas-criança odeia este passeio. Não esperem graaaande coisa pois é tudo muito turístico...

Recomendo a Vinícola Santa Rita .... pois apesar de mais cara, tem a opção de almoço e degustação de vinhos. É possível fazer o tour com guia em português (são dois horários por dia) e visitar todas as fases da produção do vinho. No final, ocorre a degustação, onde a taça é um "regalo". Tem ainda o Museu Andino (gratuito), podendo  almoçar no restaurante Dona Paula.

À noite, sigam para o Pátio Bella Vista (Pio Nono, 73, Constituicion, no bairro Providência)- centro de gastronomia, cultura, etc, onde ficam os bares, restaurantes e boites mais agitados da cidade. Adoramos o Backstage, com dois ambientes (dentro e fora), ao som de musica boa ao vivo. No dia que fomos, só rock dos anos 80...amei.

4º. Dia – El Colorado.

A segunda estação da montanha dos Vales é a queridinha dos praticantes de snowboard. Aliás, lá são realizados diversos campeonatos e as pistas “pegam fogo”.

O legal desta estação é que ao final da pista tem barzinhos onde é possível ficar bebendo um bom vinho apreciando bem de perto os esquiadores e ainda fazer fotos incríveis.

À noite, restaurante Azul Profundo.

5º. Dia – Valle Nevado.

A the best das estações por aqui. E não é à toa...a estrutura de hotéis e de restaurantes impressiona não só por sua qualidade, como também pelos preços, um pouco mais altos.

Se você pretende visitar apenas um das estações, não pense duas vezes: aqui é o lugar!!! Não se preocupe em trazer equipamentos nem roupas adequadas porque logo na entrada aluga tudo. Mas isso tem um preço, claro!!!

Como sou esquiadora apenas das pistas azuis (nível iniciante) e verdes (nível intermediário), posso dizer que não é tão fácil aprender a esquiar por aqui. A não ser que contrate instrutor particular senão...nem se aventure!

À noite, se o corpo não estiver pedindo cama, siga em direção ao  Shopping Alto de Las Condes, mais chique e com uma loja Falabella perfeita para comprar Tommy, Pólo e Lacoste.

Outra opção:

- Passeio para Vina Del Mar e Val Paraíso (conhecer o oceano pacífico). São lugares bonitos QUE VALEM A PENA, passeio de um dia inteiro. Comparem os preços nas agências brasileiras.

Outros lugares em Santiago:

Loja Paris: de departamentos em geral muito boa - bolsa, cintos....Shopping Parque Arauco: o maior da capital Chilena. Muitos restaurantes bons, lojas Paris, Falabella, etc. Supermercados: ótimos para comprar vinhos e chocolates. Avenida Alonso de Córdoba: grifes famosas como Oscar Freire, em São Paulo (vitrines lindas).

Lojas FALLABELLA-PREÇOS OTIMOS PARA COMPRAR ROUPAS MASCULINAS e de frio, CASACOS, relógios.

6º dia: Portillo (mais esqui)

No caminho oposto ás estações acima citadas, fica Portillo, a mais ou menos duas horas da capital. O caminho é liiiiindo, cheio de vinhedos e com uma pista ótima e bem sinalizada.

Depois de passarmos pelo santuário de San Felipe (imagine aguentar dois “santos” na minha casa!), e por lagos congelados no caminho, ótimos para tirar fotos e se aventurar (mas jogue pedrinhas antes para ver se ta congelado mesmo!), fomos surpreendidos por esta estação muito perfeita.

Ainda no caminho, cheio de curvas, apesar de bem menos que Valle nevado, há vários túneis onde as pistas de esqui passam por cima...e você se encanta logo com os esquiadores cruzando as pistas e fazendo manobras..UAU!!!

Fizemos um bate-volta mas fiquei com água na boca de pernoitar por lá...mas os preços das diárias me imperam. Mas se organize e fique dois dias aqui, vale a pena.

À noite, restaurante Aqui esta coco.

7º dia: Farellones e La Parva

Como estávamos de carro, no nosso último dia subimos mais uma vez a Farellones e esquiamos até a última gota de suor. Já com gostinho de saudade, almoçamos no restaurante Montanhês e brincamos muito na neve, depois subimos mais um pouco a montanha e conhecemos a estação La Parva.

Um local com muitas residências, em que tive a sensação de ser a praia dos Chilenos. Não esquiamos por aqui, mas aparentou ter pistas boas, além de disponibilizar aluguel de snowmobil - moto de neve. Ficou para uma próxima vez...porque com certeza voltaremos!

À noite, restaurante Bali Hali.

De volta para casa, depois de arrumar mala, check out... uma passadinha no Duty free é sempre essencial. Mas não espere muito por isso, já que o de Santiago é pequeno e sem muita variedade. Melhor mesmo é comprar no do Brasil que ainda parcela, podendo “torrar” o cartão de crédito sem pagar a taxa de IOF.

Santiago, para mim, não é local de compras, mas sim de diversão e lugares lindos, com pessoas educadas e cortês, muito cortês com os brasileiros.

Buen viaje!!!

Chile/Santiago – restaurantes imperdíveis

Olá viajantes...o Chile também encanta por sua gastronomia. Para os amantes de frutos do mar então...hummmm! De lamber os dedos...

 Há uma variedade enorme deles em razão da proximidade o Oceano Pacífico com preços acessíveis.

Alguns com nomes bem esquisitos – machas, vieiras, congrio, centolla, mexilhões, etc etc...O curanto é um prato muito solicitado por lá (mistura de mariscos, carne  de vaca, frango e lingüiça). Eu, particularmente, O-D-I-E-I machas:

Além disso, o pisco sour domina este país e tem em qualquer esquina. Sempre servido como aperitivo, seu gosto forte e marcante agrada o paladar.

Impossível conhecer todos os famosos restaurantes da capital chilena, então separei alguns que adorei.

Restaurantes:

- Aqui esta coco: sem duvidas o melhor lugar para experimentar a famosa centolla (um caranguejo enorme e delicioso bem característico do Chile). Bem tradicional e agradável, com comidas deliciosas.

Endereço: La Concépcion, 236- Providencia- www.aquiestacoco.cl

Indicações: rodada de marisco para começar (para duas pessoas, $ 23.500 pesos), Congrio Mai Mai (peixe delicioso) e torta de lúcuma (merengue de lúcuma, uma fruta regional- $4.400 pesos). Esta refeição, para ter uma idéia, sem bebida alcoólicas, saiu a $ 58.000 pesos.

- Borde Rio - Complexo gastronômico, com 11 restaurantes, na beira do rio Mapuche, com comidas do mundo todo e bem agitado à noite, num bairro nobre (comida italiana, peruana, japonesa, chilena, islandesa, asiática, espanhola). Recomendo o badalado Lamu Lounge, com decoração africana e comida...perfeita! Para variar (rsrsrs), experimentei o Congrio de olivas negras, acompanhado de tomates frescos , parmesão e rúcula. Este restrô tem lounge e toca músicas muito legais. Fui almoçar e achei beeeem vazio...mas gostei muito do local.

Endereço: Av. Monsenor Escrivã de Baloguer, 6400, região metropolitana- www.borderio.cl

- Restaurante Bali-hai: restaurante típico, com características do norte do Chile e das Ilhas do pacífico sul (Ilha de Páscoa), com comida muito mais ou menos. Beeeeem turistão... mas gostei de conhecer por causa das danças típicas e de um pouco mais da cultura chilena.(Comprem no local pois é mais barato do que no Brasil). A entrada com o jantar sai em média U$ 80 por pessoa.

Endereço: Av. Cristóbal Colón, 5146, Las Condes -www.balihai.cl

- Giratório (interessante chegar antes de anoitecer por causa da paisagem). O local é meio decadente mas vale pela vista e a comida é boa (só isso), com preço justo. Sugestão: Ceviche de entrada, Camarões Andinos e Congrio Grille Salsa com machas (tipo ostra)

Endereço: Av. 11 de Septiembre, 2250, P16, Providencia -www.giratorio.cl

- Azul Profundo (frutos do mar)-o lugar fica próximo ao pátio Bella Vista e a decoração é como se estivéssemos dentro de um barco...linda demais, apesar de pequeno. Maravilhoso!!! Recomendo a entrada: empanadas de camarão. Se tiverem coragem, experimentem tubarão. O prato mais servido por lá é a Paila Marina, uma sopa de frutos do mar com mexilhões, chorito, ameijas, e camarões. Confesso que não tive coragem...

Endereço: Constitucion 111, bairro Bella Vista - www.azulprofundo.cl

- Como Água para Chocolate (precisa de reserva): bem perto do pátio bella vista, também é temático e representa uma vila grega... muito bonito. Cozinha afrodisíaca, sobremesas deliciosas E LINDAS. Lugar super aconhecgante...romântico  demais. Comi um medalhão de filé perfeito (Filete al lado) e de sobremesa, Tofi. Uau!!!

Endereço: Constitución 88, bairro Bella Vista -    www.comoaguaparachocolate.cl

-  Pátio BellaVista- barzinhos legais, boates, restaurantes- legal para bater perna. Para mim, o melhor dos lugares é o bar Backstage!!! Aff... Um bar super alto astral, com dois ambientes (externo e interno), com música ao vivo, geralmente rock dos anos 80. A comida para jantar não é boa, mas os tira-gostos e bebidas...atraem os mais jovens. O estilo do local, a galera bonita e a música de excelente qualidade torna imprescindível a visita.

Agora vou dar umas dicas quentinhas e super super super recentes, de um casal de amigos queridos e super refinados, Liza e Clodoaldo que chegaram essa semana de lá:

- Coquinaria: no subsolo do badalado hotel W, parecido como o restaurante Eatly de New York, numa versão menor. Além de comidas deliciosas também é possível comprar coisas de culinária (mercado gourmet).

 

Endereço: Isidora Goyenechea, 3000-www.coquinaria.cl

- Osaka: No hotel W, no 4º andar, também delicioso e muito sofisticado. Uma mistura das cozinhas japonesa, peruana, tailandesa e chinesa que deu muito certo com os ingredientes chilenos!

A refeição para o casal (só para ter uma idéia) custou 36.400, com essas entradas mas dois pratos de seis sushis cada um, doce e um salgado, que estavam divinos - best sushi ever.

Endereço: Isidora Goyenechea, 3000

-Astryd Gaston: com cozinha contemporânea peruana, um lugar super sofisticado que agrada todos os sentidos...talvez nem tanto o bolso (kkk).

O casal optou por uma super indicação do chef, com um mix de várias coisinhas deliciosas, saindo a $30.000 por pessoa duas entradas, uma fria outra quente, três pratos principais e um combinado de sobremesa. E Clodoaldo visitou a cozinha deste restr}ô especialmente para o loucasporviagem e não se descepcionou...Arrasou!!!Grata pela defer~encia amigo. Dicas assim são sempre bem-vindas.

Endereço: na residencial Calle Antonio Bellet, no coração de Providencia, entre a movimentada 11 de Septiembre e a moderna Andrés Bello, que contorna o rio Mapocho.

Ai ai...o Chile me encanta por todos os seus sabores e fico com água na boca só de lembrar de suas delícias. Um lugar para voltar sempre e sempre!

SALVADOR-ARENA DA FONTE NOVA (COPA DAS CONFEDERAÇÕES 2013)

Olá viajantes...Salvador hoje está bombando!!! O primeiro jogo da Copa das Confederações 2013, na Arena Fonte Nova vem com gostinho de revanche: BRASIL X ITÁLIA.

A arena está lindíssima, com um projeto futurista e de 1º. Mundo, totalmente diferente do modelo original que tinha um formato de ferradura.

Gastos e discussões à parte...estamos sim preparados para acolher milhares de turistas e torcedores do mundo todo, com nosso jeitinho brasileiro, simpatia e muita alegria.

Com ingressos nas mãos, foram disponibilizados cinco pontos de acesso ao estádio, através de ônibus gratuitos saindo de locais estratégicos, como o Shopping Iguatemi, por exemplo.

Isso é excelente porque além da arena ser distante, no centro da cidade no bairro de Nazaré (aliás a sinalização não está muito boa...), em dia de jogo quanto menos carros nas ruas melhor!

Porém, no jogo de hoje, meu marido e filho foram assistir e tiveram trabalho para chegar por causa dos manifestos, então saíram beeeeem cedo para garantir. Claro que rola um estresse mas...vale demais!!!

Antes de chegar ao estádio, aproveitem para apreciar e fotografar também (claro), o Dique do Tororó, onde os orixás da Bahia lhes dão as boas vindas, em lindas imagens flutuantes no lago. A iluminação também é lindaaaaaa.

Na entrada do estádio há váááários voluntários auxiliando os portões e lugares, todos com muita boa vontade em deixar a festa perfeita.

E acho que tem que ser assim!

Precisamos acreditar que podemos fazer bonito, colocar o sorriso no rosto e deixar aflorar o patriota de dentro de nós. Aliás, este sentimento deveria ser uma constante, e não apenas em período de jogos.

Vamos rumo ao HEXA!!!

 

Aracaju e as festas juninas/2013

Olá viajantes... Viva São João!!! Viva são Pedro!!! Vivaaaaaa....

Chegou a época do ano mais importante para minha cidade que já e famosa por seus festejos juninos. Aliás... O Estado de Sergipe tooooodo está enfeitado de bandeirolas, balões e queimando fogueira porque aqui, em todo canto, só se ouve forró... E dos bons!

Apesar de Estância, Itaporanga, Areia Branca, Socorro, Capela e outras cidades também fazem um arraial caprichado, o melhor de todos é o da capital! E começa hoje!!!

Na praça dos mercados de Aracaju, no centro da cidade, tem uma área enorme e se transforma num lindo "arraiá"... dois palcos foram montados para animar a galera que gosta de "ariar a fivela".

São atrações locais e nacionais para todos os gostos e idades. De 20 a 30 de junho de 2013 pode chegar que a festa e gratuita e com muita segurança.

Além da revista de raio-x na entrada no local, há muitos policias dentro do arraial, mas claro que não dá pra marcar bobeira porque são milhares de pessoas juntas...

Aliás, quem quiser um conforto maior pode reservar uma mesa em algum dos bares montados dentro do local: cariri, dentre outros. Neles o acesso a bebidas e comidas é bem melhor. Não há camarotes à venda: são todos dos patrocinadores e lá... só convidados!

Mas a animação da galera contagia mesmo embaixo de chuva, ninguém larga o par!!!

Vejam a programação que começa com cantos religiosos e encerra com a famosa banda Aviões do Forró:

Eu adoooooro, apesar de não ser meu ritmo predileto (rsrsrs) ....e não tem como ficar parado e deixar de apreciar as pessoas “se acabando” no forró. Ao som de um forrozinho pé-de-serra, dançar juntinho é bom demais.

Então viajantes... venham para cá conhecer e curtir um dos melhores festejos juninos do nordeste.

Além de muuuuuuito forró, ainda dá para se deliciar com as comidas típicas: milho assado, cozido, bolos de mandioca, milho e puba, canjica, amendoim cozido, beiju de tapioca, mingau, queijo coalho, tudo acompanhado de muitos licores regionais.

Não tem como não amar! Vem para cá você também...

Mais informações: http://www. aracaju.se.gov.br/forrocaju2013www. aracaju.se.gov.br/forrocaju2013

CHILE: HOSTEL EM FARELLONES/CHILE (por Marcio Brandi)

Meu irmão foi conhecer as estações de esqui no Chile e queria fazer algo diferente, dormindo na montanha. Em 2009 conhecemos um professor de snow que nos apresentou sua casa e falou que alugava para os turistas e esquiadores pernoitarem. Achei muito legal e repassei a dica para alguns amigos que aprovaram. Para aqueles que gostam de aventura e não fazem questão de luxo...seguem as dicas. Eu estou sonhando em passar um fim de semana por lá...

“Em julho do ano passado (2012), em nossa viagem ao Chile, resolvemos que ao invés de subir e descer a montanha todos os dias para aproveitarmos a neve nas estações de El Colorado e Valle Nevado, seria melhor ficarmos hospedados em algum local lá por cima, evitando assim o famoso "mal da montanha" (a dinâmica em estar quase ao nível do mar e subir até 3.000mts de altitude média e descer no mesmo dia causa sérios problemas em várias pessoas) além de poupar energia e tempo, sem contar com a experiência de dormir nas montanhas dos Andes.

Os preços dos hotéis em Valle Nevado são altos, além de só fecharem pacotes com várias noites...nada atrativo. Mas ouvindo as dicas de minha irmã blogueira, Belle Brandi, resolvi me informar sobre o ChileXtremo na internet (www.chilextremo.cl), e depois de conversas por email e diretamente com o Max (proprietário) via Skype, que me explicou tudo (preços, inclsuive), resolvi me aventurar com minha esposa.

 
As coisas mais relevantes sobre o planejamento e reservas foram:
- reservei com bastante antecedência o único quarto de casal com suíte (há vários tipos de acomodações como quartos coletivos, quádruplos e duplos, todos com preços diferentes);

- efetuei parte do pagamento através do PayPal, para garantir a reserva;
- contratei os serviços de transfer da empresa desde Santiago até Farellones, e de lá até El Colorado e Valle Nevado, bem como a volta até o Hostel e no final, para Santiago. O serviço oferecido foi excelente, pontual e confortável.

Para falar sobre o que achamos de nossa experiência das duas noites que dormimos por lá, preciso enfatizar que o local é lindo, charmoso, porém bastante simples. O quarto onde ficamos tinha uma visão incrível do Sunset a partir da janela, uma das coisas mais bonitas que já vi em minha vida.

Tem uma pequena cozinha, com fogão, geladeira e mesa, além dos utensílios necessários (bem velhinhos e feios, porém limpos assim como tudo por lá). O quarto possui também um aquecedor a gás, tv e internet (que não funcionava). É preciso levar toalhas e roupa de cama (compre num local qualquer em Santiago), e leve sua comida e bebidas, pois apesar de toda a boa vontade das pessoas em ajudar, o "pueblo" tem as suas limitações, que não são poucas, no que se refere a comprar comida e/ou qualquer outra coisa. Mas serve café da manhã(super básico).

Quem vai para lá, precisa saber que ficará num Hostel, e não num Hotel. Tudo bem simples.

O que eu achei legal foi a pequena área comum, onde os poucos hóspedes ficam assistindo tv e trocando experiências. Pessoas de diferentes partes do mundo. O perfil das pessoas, na maioria, são daquelas que vão para praticar esportes de inverno, tendo o local apenas como uma base.

Caso não estejam de carro, evitem sair caminhando pelo local. Apesar de ser um lugar tranquilo e seguro, fica difícil sentir-se a vontade com a escuridão, com o frio e com a quase nenhuma presença de pessoas na rua. É esquisito...

Mas em compensação, sair do quarto a noite, ir para a frente do hostel que é onde a rua acaba, e ficar "cara a cara" com as montanhas, respirar o ar gelado e puro de lá, escutar o silëncio do lugar... é incrível!!!

Enfim, se tiver disposto a abrir mão do conforto de um hotel e compensar com a praticidade e beleza do lugar, além de um preço bem mais em conta, vale muito a pena sim!

Sem contar que após um dia inteiro numa estação, o cansaço será bem grande e chegar rapidamente no Hostel, entrar no quarto, tomar um banho, comer e descansar será o equivalente a caminhar o dia inteiro no deserto e encontrar um oásis com sombra e água fresca para refrescar-se e descansar.

Se tiver disposição, o lugar é perfeito para namorar, ou simplesmente curtir o frio e o silêncio a dois.

Eu não recomendaria ficar por lá com crianças pequenas. Na época em que fomos, agosto de 2012, não havia neve em Farellones, devido a uma esquisitice no tempo que fez com que a temporada de 2012 nesta região fosse fraca.

As pessoas de lá me explicaram que é preciso chover bastante em Santiago e na região do Maipo para que neve bastante nesta parte da montanha. E o ano foi particularmente seco e escasso de chuvas (teve uma seca enorme, algo incomum que não acontecia há uns 20 anos).

 Por esse motivo, ao invés de passarmos um dia aproveitando a área de neve em Farellones, subimos mais um pouco até onde havia neve suficiente para esquiar e brincar.

Farellones foi apenas a nossa base para descanso. Lá existem outros poucos hotéis também.

Ah!!! Precisa ter dinheiro em espécie nas mãos. Lá não aceitam cartões, inclusive para efetuar o pagamento. A opção que existe é sacar dinheiro nas estações, mas mesmo assim, recomendo dispor de uma quantidade que sirva inclusive para uma emergência.

Espero ter ajudado. O lugar é lindo!!!

SANTIAGO/CHILE – ESTAÇÕES DE ESQUI (como chegar)

Ola viajantes…tenho o prazer de informar que já esta aberta, oficialmente,  a temporada de neve no Chile de 2013. Isso mesmo: já da pra esquiar porque as recentes nevascas trouxeram 80 cm de neve esquiável e a estação de Valle Nevado abriu nesta última sexta-feira, dia 07.06.2013. F-A-N-T-Á-S-T-I-C-O.

No site da principal estação, www.vallenevado.cl é possível constatar referida informação. Então...sendo oficial, vamos aproveitar!!!

 Começaremos pelo básico.

As estações mais faladas de Santiago estão na montanha conhecida como a região dos Três Vales dos Andes: a primeira e de mais baixa altitude é Farellones, e a mais simples também. Depois tem El Colorado, La Parva e a mais alta e bem estruturada, Valle Nevado.

Mas antes de decifrar cada uma delas, preciso explicar como chegar à montanha.

Na primeira vez que fui, contratamos aqueles pacotes turísticos que os hotéis e empresas de turismo oferecem (aff!!!). AlÉm de não ter neve, a não ser nos cumes das montanhas, pois eles não foram suficientemente honestos para dizer isso, achei péssimo.

Ditavam as regras (de férias não quero isso), não paravam de falar aqueles textos decorados e com poucas informações úteis, além de muito caro.

Mais recentemente voltei com minha família, em pleno inverno, e escolhemos a empresa Skitotal para nos conduzir e não me decepcionei.

A estrutura deles é profissional, uma empresa super conhecida e respeitada pelos Santiaguinos, muito organizada e preço bem acessível. Basta entrar nos site e conferir: www.skitotal.cl

Agora, por exemplo, na baixa estação, o transfer até o complexo de hotéis de Valle Nevado (a mais alta estação), custa $14.000 pesos chilenos (mais ou menos R$ 60,00), ida e volta por pessoa, saindo da Apoquindo, 4.900, Loja 37-46 (de metro, siga ate a estação Escuela Militar de linha 1-da linha rosa do metro, caminhe em direção a la cordillera a mais ou menos três quadras e logo vera varias vans brancas com a logomarca da empresa-todo mundo conhece). Mas eles também podem pegar no hotel, pagando pouca coisa a mais.

Atenção: o jeito mais fácil de converter pesos chilenos para o real é remover os três últimos dígitos e depois multiplicar por 4 (quatro). A conta não é exata mas ajuda muito. E mais, “QUEM CONVERTE NÃO SE DIVERTE”!!!

Ah!!! A Skitotal também aluga roupas impermeáveis (imprescindíveis para quem vai esquiar ou brincar na neve), bem como os equipamentos – esquis e snow, vendem os tickets do local, tanto para aqueles que querem apenas brincar na neve fazendo bonecos e passear de teleférico, como para os que irão se aventurar na neve, dando acesso também aos teleféricos e lefts.

Uma terceira opção, apesar de beeeeeeem mais cara, é contratar um táxi ou Van indicado no próprio hotel (tem que ter recomendação) e combinar o passeio do jeito que você preferir, passando por todas as estações para conhecer ou simplesmente uma delas para se jogar na neve e curtir muuuito. A comodidade de sair e voltar na hora que quiser, alem da privacidade...tem seu valor, e não preço! Mas, enfim...cada um tem um jeito e preferências!

Uma querida amiga Liza Monte Alegre, está em Santiago nesta semana com seu maridinho e escolheu esta opção e, claro, repassou informações atualizadíssimas (adoooooro). Por $ 29.000 pesos cada, fez o transfer numa Van particular com outras pessoas e conheceu num só dia Farellones e Valle Nevado, o que é super válido para quem não tem intenção de esquiar, como eles. Eles, claro, amaram a neve!!!

Também indico o transfer realizado pela empresa Chile Extremo, cuja sede fica na estação Farellones, onde eles tem uma hospedaria (hostel).

Conhecemos o dono naquela estação, muito gente boa, que nos apresentou sua casa e depois o contratamos como professor de snowboard. Meu irmão utilizou o serviço no ano passado e aprovou (veja a experiência dele no tópico friends pelo mundo, em que ele descreve inclusive sua hospedagem).No site da empresa, www.chilextremo.com, constam os preços dos serviços (acima).

E, por fim, a nossa escolha: alugar um carro e subir a montanha por conta própria. Sem dúvidas a melhor opção desde que você não tenha receio em dirigir por um caminho, digamos, um pouco arriscado, com muitas e muitas curvas sinuosas e, na maioria das vezes, com gelo e neve na pista, obrigando o uso de correntes nos pneus.

Mas quanto a isso não se preocupem: na estrada, ao lado do posto policial, há um local que aluga correntes (U$ 3 o dia) e auxiliam a sua colocação, dando mais aderência aos pneus e evitando derrapagens.

Quando subimos as estações, durante 04 dias seguidos, na alta temporada, não precisamos acorrentar os pneus, pois havia pouco gêlo mas...tem que estar precavido.

Aliás, apesar das curvas sinuosas, o perigo é beeeem reduzido já que até uma determinada hora do dia, geralmente às 14h, só é autorizada a subida de veículos a montanha, o que permite a utilização das duas pistas, afastando dos penhascos. Do mesmo jeito, a partir desse horário, somente é possível descer a montanha, utilizando a pista dupla neste sentido.

Ah!!! E se você precisar subir ou descer fora dos horários determinados, será necessário o auxilio dos “carabineiros”, policiais ou equipe médica que promoverá o seu translado com segurança para todos. Os chilenos são muito organizados e respeitam demais as normas estabelecidas.

Nem precisa dizer que a vista é linda né? Principalmente na volta, vendo o sol abaixar por entre montanhas cobertas de neve...uau!!! de tirar o fôlego.

Mas atenção: diante das inúmeras curvas, a maioria delas beeeeem fechadas, muita gente que sobe a montanha enjoa e ...já viu. Pode estragar o passeio.

Se você sofre desse mal, tomar um remedinho antes de subir é super aconselhável. Fora isso, é fazer uma alimentação leve antes de conquistar a montanha e preparar a câmara para “sacar” vários fotos.

As pessoas que fazem o transfer já estão acostumadas e sempre dão umas paradinhas estratégicas para todos se acostumarem com a altitude e não ter enjôos...no percurso vimos vários carros parados nos acostamentos e...ecaaaaaaaa!!!!

O percurso dura cerca de uma hora e meia, pois a velocidade média tem que ser baixa, num total de 64 km.

Ah! Também é possível chegar de helicóptero a montanha, num vôo que dura mais ou menos 20 minutos e com a garantia de fotos incríveis dos Andes. O custo também é impressionante: U$ 850,00 por ate seis pessoas (informação do site www.folha.uol.com.br). Contato: oo.xx.56.2.206-0027. Aconselhável para os mais abastados e apressados.

Reserve o dia inteiro para esse passeio, mesmo que você vá apenas para conhecer a neve...super recomendo.

No mais...é só aproveitar!!! E se o dia estiver ensolarado, com o céu azul contrastando com a paisagem inteiramente branca...certamente será inesquecível.

Good trip e enjoy!

PERU-dicas gerais (por Marília Lacerda/SE)

Oi viajantes...fiquei encantada com as imagens mostradas no início da nova novela global, Amor à Vida e resolvi passar umas dicas de uma colega de trabalho, Marília Lacerda, recém-casadinha que curtiu sua honeymoon no Peru. Espero que se apaixonem também...

“Na nossa lua-de-mel, decidimos fugir um pouco do tradicional, e fomos conhecer o Peru. Foi uma experiência maravilhosa, onde tivemos a oportunidade de conhecer uma cultura diferente e linda, com uma gastronomia deliciosa, ver paisagens montanhosas belíssimas, admirar a incrível arquitetura inca, e claro, ficar embevecidos com a maravilha que é Machu Picchu!!

Em Lima, vale a pena fazer o city tour, pra conhecer a cidade toda em pouco tempo: visitar a Catedral (feita, em grande parte, de madeira), a Plaza de Armas, além do complexo de San Francisco, que abrange igreja, convento e as catacumbas (não entre se tiver claustrofobia, tem passagens estreitas e com teto baixo).

Voltando aos passeios em Lima, gostamos muito do Museu Rafael Larco, onde tem muitos objetos (principalmente cerâmica, mas também tecidos) dos povos pré-incas e dos incas.

Continuando a viagem, pegamos um aviãozinho em direção a Cusco (porque é muito longe, e as estradas ruins, passando por montanhas). O vôo dura cerca de uma hora, o avião não é muito confortável, as cadeiras são apertadas, mais do que no Brasil, por incrível que pareça, mas também não é insuportável. Pense no destino!

Cusco é uma cidade incrível, era a capital do império inca, e todo lugar que você passa tem exemplos da arquitetura inca. Só que fica a 3.400 metros de altitude, o que é uma mudança muito brusca vindo de Lima (nível do mar). É preciso ter muito cuidado com o mal de altitude, não é brincadeira! Não precisa se trancar no hotel e ficar parado o dia todo para se acostumar. Mas no primeiro dia é bom pegar leve. Andar devagar, beber muita água, comer comidas leves e não beber álcool nem fumar é recomendável. Pode-se sentir tonturas, náuseas e dor de cabeça.

O melhor remédio é: chá de folhas de coca!!! Na entrada do hotel, sempre tem chá à vontade para os hóspedes, e nós tomávamos uma xícara várias vezes por dia. Alivia bastante o mal-estar. Mascar as folhas de coca é mais eficiente ainda, só que tem um gosto amargo e deixa a língua dormente. Mas você não vai sair do Peru sem experimentar, né?!

 A melhor visita foi ao QORICANCHA (foto acima no jardim), onde fica também a igreja de Santo Domingo. Contratamos um guia na entrada, foi baratinho e explicou muita coisa interessante. As paredes de pedras esculpidas, lisinhas e perfeitamente encaixadas, que resistiram aos séculos e aos inúmeros terremotos (muito frequentes na região), são impressionantes!!! A vista externa do local também é muito bonita

O Peru também é muito conhecido pelos tecidos e roupas feitos de lã de lhama, alpaca e baby alpaca (primeira tosa do animal). As roupas são lindas, o tecido é muito macio, mas é preciso cuidado para não comprar gato por lebre. É bom se informar sobre as lojas confiáveis.

(Na foto do meio, traje típico de casamento! Na seguinte, uma peruana mostra a variedade de lãs coloridas, todas com tingimento de produtos naturais)

Em visita ao vale sagrado, passamos em uma fazenda onde os turistas podiam alimentar as lhamas e alpacas.

Mas cuidado: eles são gulosos e podem avançar na sua direção para comer a grama que você está segurando!! Kkkkk!! Não se preocupe, são mansos, não tem nenhum risco, só de tomar um susto.

No vale sagrado, entre várias ruínas, nós visitamos OLLANTAYTAMBO, que é uma construção impressionante, em cima da montanha, formada por pedras imensas, com paredes, escadarias, com áreas que eram de plantação e outra que era um templo. A vista é incrível!! Dica: vá agasalhado e amarre os cabelos. Venta muito!

Finalmente, o momento mais esperado: a visita a MACHU PICCHU!! A única maneira de chegar é de trem, não existe outro acesso. Existem três categorias de trem: o mais simples, Expedition; o Vistadome, que eu fui, cheio de janelas; e o de luxo, Hiram Bingham. Partindo de Cusco, a viagem dura cerca de 3 horas, mas a cadeira é confortável, servem lanche, e a paisagem é linda. O único problema foi o sol, na ida, bastante quente. Recomendo boné, óculos escuros e, sim!, protetor solar.

Aliás, como Machu Picchu fica numa região de clima tropical, você deve se proteger do sol e dos mosquitos. É importante lembrar que, depois que você entra no parque, não tem nenhuma loja, nem lanchonete, nem nada. Então leveboné, óculos escuros, protetor solar, água e repelente para mosquitos (importante)!!

A primeira visão de Machu Picchu foi tão surpreendente: aquelas ruínas tão bem preservadas, intocadas pelo homem no meio das montanhas, com florestas de todos os lados, é de tirar o fôlego.

Dá pra ver Machu Picchu num bate e volta, mas quem puder, é interessante dormir uma noite. Isso porque, além de poder ver o local bem mais vazio, sem a multidão de turistas que enchem o local das 11h às 15h, dá pra conhecer outros locais muito bonitos também.

Nós escolhemos subir a trilha até o INTI PUNKU. Foi bem cansativo, me senti humilhada por algumas senhoras bem mais velhas que me ultrapassaram no caminho, de cerca de 1h30, mas valeu muito a pena, lá em cima, a vista maravilhosa das montanhas, a brisa fresca, e ver tudo bem pequenininho lá embaixo: Machu Picchu, o rio, a cidadezinha mais próxima... Lindo! O local era um templo onde os incas realizavam cerimônias em homenagem ao Sol.

A descida da trilha foi bem mais rápida, apenas 40 minutos, e nos despedimos de Machu Picchu.

Com relação à gastronomia, quem gosta de peixes e frutos do mar vai amar a culinária peruana. Não é só o ceviche não, apesar de ser realmente uma delícia e existir uma variedade de combinações e condimentos que não se encontra por aqui. Comemos também peixes, lula, polvo (maravilhoso), camarões, crustáceos e moluscos que eu não conhecia, sempre muito bem preparado e com molhinhos deliciosos. Amei! Engordei um bocadinho na viagem! Rsrsrs.

O drink oficial do Peru é o Pisco Sour, que é tipo uma caipirinha feita de pisco (aguardente à base de uva, cuja criação disputa com o Chile), limão, açúcar, clara de ovo batida e angostura. Uma delícia, mas é forte para quem não tem costume de beber.

Recomendo o restaurante Alfresco, no bairro de Miraflores, onde ficam todos os hotéis... foi um dos nossos preferidos e voltamos lá no último dia da viagem. Comida deliciosa, atendimento ótimo e preço bom. Gostei muito também da Chicha Morada, um refresco à base de um milho escuro que só existe lá, e que está do lado direito da fato.

Aliás, a culinária peruana tem como ingredientes básicos o milho e a batata. Isso porque lá existem dezenas de variedades de milho e batata, com os mais variados formatos, cores e tamanhos, além do sabor.

Também adoramos o restaurante HuacaPucllana, que fica dentro do parque de mesmo nome, que é na verdade uma pirâmide de argila, no meio da cidade de Lima, construído por um povo mais antigo que os incas. O restaurante tem um ambiente e uma vista linda, a comida é deliciosa e, apesar de um pouco mais caro, é mais em conta que no Brasil. Vale a pena. Dica: se você fizer a reserva através do hotel, que é um serviço gratuito, ganha um pisco sour de cortesia para cada pessoa. O mesmo vale para vários restaurantes. Informe-se no seu hotel.

Em Cusco, gostamos bastante do restaurante Chicha, mas infelizmente não pudemos aproveitar tanto porque foi no nosso primeiro dia na cidade, e não estávamos nos sentindo muito bem. O mal da altitude nos pegou...

Os melhores restaurantes são em Lima. Em Machu Picchu, dizem que é muito bom o restaurante que fica ao lado da entrada do parque, o SanctuaryLodge, mas esse é só para os mais abastados, rsrsrs.

Mas espere! Existem outras coisas além de peixes e frutos do mar.

São pratos típicos também a carne de alpaca e de cuy (porquinho da índia). Nós experimentamos ambos. É sempre uma experiência inesquecível provar esses pratos típicos tão diferentes! A cerveja é semelhante a nossa; a carne é macia, mas tem o sabor muito suave, precisa de algum molho. A carne de cuy é bem diferente, gorda e de sabor forte. Não me agradou, mas meu marido gostou.

Então é isso. Nós adoramos o Peru!"

Morro de São Paulo/BA: chegando ao paraíso e descobrindo seus encantos.

Olá viajantes... falando um pouquinho mais de Morro de São Paulo (a pedidos), vou descrever o que vi por lá, com minhas dicas, claro.

Logo na descida do cais você já comprova a fama do local: uma ladeira beeeeeeeeeeeeeeeeeeem íngreme ou escada...

 

Passamos pelo centrinho com vaááááááárias lojinhas charmosas e restaurantes. Adorei os biquines, cangas, chapeus mas me apaixonei pelo artesanato. Bati o olho nesta duas gordinhas lindas de barro e tive que me contentar em levar apenas a foto para casa: R$ 380,00 cada (aff). Lindaaaaaaaas demais.

A barriga lembrou da fome e paramos, com mala e tudo, no restaurante Sabor da Terra. Uma deliciosa moqueca de camarão nos deu boas-vindas, ao custo de R$ 55,00 para duas pessoas, acompanhada de cerveja estupidamente gelada!

Depois seguimos pela lojas em direção a 1ª. praia para nossa pousada, descemos uma ladeeeeeeira e...chegamos!

A Pousada Aroeira não fica na praia mas sim numa quadra atrás. A vista do quarto para o farol com a tirolesa compensa a caminhadinha.

Diária de R$ 150,00 com café da manhã incluso, que por sinal tem o melhor bolinho de estudante que já comi! (com tapioca, coco e canela, passado na fritura). O local é simples mas super agradável, principalmente por seus simpáticos funcionários.

Depois de fazer uma "vistoria" nas praias (1ª.,2ª. e 3ª.), descansamos um pouco para conhecer a noite.

Nesta época do ano, apesar do bar/boite Toca do Morcego não estar aberto, é possível apreciar o famoso por do sol no Portaló, com música boa e gente bonita, bem ao lado do pórtico da ilha.

Caminhando pela vila escutamos muito mais idiomas estrangeiros que o nosso... E a época atrai casais e mais casais. O público jovem curte o local no verãozão... de forma sábia (kkkkk)

Fizemos também o passeio a Boipeba, passando pelos bares flutuantes que vendem ostras frescas ao custo de R$ 20,00 a dúzia, além de uma generosa porção de camarão pistola por R$ 40,00!!!

Em Boipeba, super recomendo  o prato de lagosta na barraca de praia Toca do Lobo, preparada na manteiga, cebola e cebolinha...hummmm...pense num sabor?(custo R$76,00)

Também não deu para ver as piscinas naturais e a volta é beeem chata porque demora ... dei por visto!!!! Ah... O passeio dura o dia inteiro e custa R$ 60,00 cada, numa lancha rápida com outras pessoas.
E à noite, uma pizza para finalizar nossa estada, no bar Funny, o último da segunda praia. Com música de boa qualidade ao vivo, fomos servidos por um pernambucano figuraça... Fechamos o fim de semana muito bem pois a pizza estava deliciosa!!! E bem baratinha também- R$ 18,00 (tamanho médio de mussarela).

Apesar de uma passagem rápida por este lindo lugar, e num período em que as águas do mar não estavam cristalinas ...valeu demais, principalmente para ter a certeza de que voltarei no verão, para curtir o sol, as baladas e o luau.

Espero ter deixado vocês também com água na boca!